terça-feira, 19 de maio de 2009

D. Manuel I: Custódia de Belém com 500 Anos regressa ao Museu de Arte Antiga


http://videos.sapo.pt/83Pkyqj4D9HdCZZIzlZ8

[ A "Custódia de Belém" é um ostensório hoje em exposição no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, datada de 1506, cuja autoria é atribuída a Gil Vicente. Considerada a obra-prima da ourivesaria portuguesa, a Custódia de Belém foi encomendada pelo Rei D. Manuel I de Portugal para o Mosteiro dos Jerónimos. De estilo gótico tardio, na sua manufactura foi utilizado o ouro proveniente de 500 moedas enviadas pelo régulo de Quíloa (actual Kilwa Kisiwani, na Tanzânia), como tributo de vassalagem ao rei de Portugal. As moedas haviam sido trazidas por Vasco da Gama no regresso da sua segunda viagem à Índia (1503). Construída com ouro, esmaltes e cristal, a peça é encimada por uma figura sentada num trono que representa Deus Pai em cujo rosto se destacam traços de envelhecimento, simbolizando a sabedoria e a experiência. No centro, rodeando o recipiente de cristal onde eram colocadas as hóstias consagradas, estão figuras miniaturizadas representando os Doze Apóstolos, todas diferentes nas suas vestes e posição. A parte inferior é decorada com esferas armilares, o símbolo de D. Manuel I, sob as quais se encontram figuras de animais e flores. Da cúpola pende a pomba que simboliza o Divino Espírito Santo. Em torno da sua base está a seguinte inscrição: O. MVITO. ALTO. PRI(N)CIPE. E. PODEROSO. SE(N)HOR. REI. DÕ. MANVEL.I. A . MANDOV.FAZER. DO OVRO. I .DAS.PARIAS. DE. QVILOA. AQVABOV. E.CCCCCVI. A "Custódia de Belém" foi tomada como saque pelas tropas francesas de durante a Guerra Peninsular, sendo levada para França, sendo devolvida após o termo da guerra. Consta que foi enviada para a Casa da Moeda, aparentemente para fusão, destino do qual foi resgatada pela intervenção de D. Fernando de Saxe-Coburgo-Gotha, Rei consorte de Portugal pelo seu casamento com a Rainha D. Maria II de Portugal." O Movimento Pensar Real ~Pensar Portugal e todos os Monárquicos Portugueses congratulam-se com esta evocação!...]
FONTES & VER+EM:
REI DOM MANUEL I DE PORTUGAL:

1 comentário:

António Baião Pinto disse...

Sem dúvida um grande exemplo da arte e da história nacional!
Gostaria que visitasse o meu blog, sou monárquico convicto e associado da Real do Porto!

Viva o Rei!